No refrão da Canção para o Oceano

O bardo dedilha sua harpa.
Cordas de ouro expandem a musica.
Uma canção de ninar para o oceano.
Um poema para acalmar o espirito melancolico.

Em cada nota de sua musica milenar.
De minhas poesias posso lembrar.
O sorriso que outrora tive.
uma memória agora úmida e triste.

No refrão da canção para o oceano.
Eu entrego a tempestade da minha alma.
No movimento pendular das ondas prateadas.
Eu deixo a melodia velar meu pranto.

No refrão da canção para o oceano
Os meus versos embalam meu sono.
Uma fuga do triste outono.
Uma busca à primavera inalcansável.

O bardo que toca a harpa dourada.
Talvez em meio as eras futuras e passadas
Seja um fantasma de minhas lúgubres lágrimas.
A expressão da ausência de minha fada.

E sua música doce a minha desolação.
O grande oceano o indomável coração.
A caixinha de segredos e mentiras.
do pequeno garoto coroado com estrelas sem vida

No refrão da canção para o oceano.
Repousa um mistério milenar.
Uma poesia silenciosa.
Uma paixão à deriva.
Previous
Next Post »

1 comentários:

Write comentários
Patrícia
AUTHOR
16 de novembro de 2009 13:20 delete

esse tom lindamente poético é incrível
leva o leitor a costa do oceano

Reply
avatar